Dr. Juan Victor Paiva

O que é e para que serve a próstata

A próstata é uma glândula que está localizada entre a bexiga e o reto (intestino). Presente apenas nos homens, ela tem a função de produzir o líquido que é ejaculado no momento do orgasmo. Seu peso normal varia entre 20 e 30 gramas. Seu aumento causa a Hiperplasia Benigna da Próstata.

Anatomia da próstata

Epidemiologia e Etiologia

Em primeiro lugar, vale ressaltar, que como o nome jà diz, essa á uma doença benigna que acomete mais da metade dos homens. A próstata é uma glândula que começa a crescer a partir dos 40 anos de idade, e quanto mais o homem envelhece, mais comum ela se torna.

Aos 60 anos sua prevalência é superior a 50%. Aos 80 anos chega a mais de 90%.

Gráfico Hiperplasia Prostática Benigna conforme a idade

O termo Hiperplasia Benigna da Próstata se deve ao crescimento anômalo de certas áreas da próstata, que se iniciam na área estromal e na zona peri-uretral. O aumento prostático resultado da HPB leva a uma compressão da uretrata, resultando em uma compensação da musculatura da bexiga. Essas duas alterações causam os sintomas que chamamos de LUTS (Lower Urinary Tract Syntoms), ou seja, sintomas do trato urinário inferior. Conforme o paciente vai envelhecendo, esses sintomas tendem a piorar, podendo chegar a episódios mais graves, como a retenção urinária aguda e perda de função renal.

Hiperplasia Benigna da Próstata

Sintomas

A Hiperplasia Benigna da Próstata causa sintomas no trato urinário inferior do homem. Ela é dividida em dois grandes grupos:

Sintomas urinários obstrutivos:

  • Jato urinário fraco.
  • Esforço miccional.
  • Gotejamento miccional.
  • Hesitação.
  • Gotejamento terminal.
  • Intermitência.
  • Sensaçao de esvaziamento incompleto.

Sintomas urinários irritativos:

  • Polaciùria (necessidade de ir com frequência ao banheiro).
  • Noctúria (necessidade de acordar para urinar).
  • Urgência.
  • Disúria.
Homem com sintomas urinários

Avaliação do Paciente com Hiperplasia Benigna da Próstata

O paciente com história e sintomas de HPB, deve ser necessariamente avaliado por um urologista. O urologista possui um arsenal de métodos para avaliar a severidade da doença de cada paciente:

QUESTIONÁRIO IPSS

O questionário IPSS (International Prostatic Symptons Score) ou (Escore Internacional de Sintomas Prostáticos), é um questionário que é aplicado ao paciente, baseado em 8 perguntas, sendo a última delas perguntando diretamente a respeito de sua qualidade de vida.

Ao final do questionário, os escores são somados e permitem classificar os sintomas em leves, moderados ou severos.

PSA

O PSA (Antígeno prostático específico) é uma proteína produzida exclusivamente pela próstata. Apesar de ser usada no rastreio de câncer de próstata, ela pode estar alterada em outras situações, como prostatites (infecções da próstata), infecções urinárias e na própria hiperplasia. Sendo assim, e de extrema importância uma correta avaliação por parte do urologistas, quando o exame vier alterado.

Toque Retal

Parte do exame físico do paciente urológico. Exame simples e rápido, no qual e avaliado, por meio do dedo indicador, tamanho, textura e presença de nódulos na próstata.

Toque Retal

Urofluxometria

Exame simples, no qual o paciente urina em um recipiente, onde é medido o fluxo de seu jato. Em casos de hiperplasia sintomática, o jato do paciente tende a ser mais fraco.

Exame de urofluxometria

TRATAMENTO

Conduta Expectante

Quando o paciente não possui sintomas urinários ou possui sintomas leves, nenhum tratamento é necessário para Hiperplasia Benigna da Próstata. Não havendo necessidade de prescrição de medicações apenas pelo tamanho da próstata estar aumentado.

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

Alfabloqueadores

Os bloqueadores alfa-1-adrenérgicos atuam na musculatura lisa do paciente, realizando um “relaxamento”  da uretra prostática. Com isso os sintomas miccionais são aliviados, fazendo com que o paciente tenha uma micção melhor. Essas medicações não atuam diminuindo o tamanho da próstata e nem o valor do PSA. Entre seus principais parefeitos, estão a hipotensão, tontura e fraqueza. Devido a isso, a orientação ao paciente é de que ele tome a medicação logo antes de ir dormir.

Inibidores da 5-alfa-redutase

Esse tipo de medicação age, principalmente, diminuindo o volume da próstata. Os pacientes em uso dessa medicação podem esperar uma redução de tamanho da glândula de 20 a 25% no primeiro ano de uso. A medicação também atua diminuindo o PSA, porém esse efeito deve ser avaliado cuidadosamente, pois pode mascarar um câncer de próstata. A regra básica é duplicar o valor do PSA, quando o paciente utiliza esse tipo de medicação.

Terapia Combinada

Como os alfabloqueadores e inibidores da 5-alfa-redutase atuam de formas diferentes, é razoável pensar que a terapia combinada seja uma estratégia interessante. Normalmente a terapia combinada é utilizada em próstatas que pesam a partir de 40 gramas, ou em pacientes muito sintomáticos.

TRATAMENTO CIRÚRGICO

Quando o tratamento medicamentoso não é mais eficaz ou quando o paciente não deseja mais tomar as medicações, partimos para as opções cirúrgicas.

RTU de próstata

A RTU de próstata ou Ressecção Transuretral da Próstata é o tratamento amplamente estabelecido para a Hiperplasia Benigna da Próstata. Ela é uma cirurgia endoscópica (ou seja, sem cortes), em que um aparelho é introduzido pela uretra do paciente e com uma alça de ressecção elétrica é retirada a parte obstrutiva da próstata. A cirurgia é realizada com anestesia raquidiana e normalmente o paciente tem alta no dia seguinte à cirurgia. Tem como sua principal limitação o tamanho da próstata, sendo efetiva em próstatas pesando até 80 gramas.

RTU de próstata

Cirurgia Aberta (Millin)

Normalmente utilizada em próstatas de grande volume, a cirurgia aberta continua a ser uma opção para paciente assintomáticas. Realizada com uma incisão supra-púbica, é retirado todo adenoma (parte obstrutiva da próstata). A grande vantagem dessa cirurgia é que o paciente permanece assintomático por muitos anos. Sua recuperação pode ser um pouco mais lenta, podendo ser necessário o uso de sonda vesical por alguns dias.

HOLEP

O Holmium Laser Enucleation of Prostate é um laser de alta frequência, sendo o que há de mais moderno para cirurgias de Hiperplasia Benigna da Próstata. Semelhante à RTU, o procedimento é realizado por via transuretral, prém no caso do HOLEP, o tamanho da próstata não é impeditivo. O laser utilizado resseca todo adenoma prostático e depois um aparelho é utilizado para fragmentar o tecido e poder retirá-lo da bexiga. O paciente tem alta no dia seguinte, sem sonda alguma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende aqui sua consulta!